terça-feira, 5 de março de 2013

História da Praia do Zavial

A informação documental mais antiga sobre a área do Zavial é um alvará, datado de 24 de Novembro de 1569, pelo qual Sebastião (1568-1678) nomeou Pedro Dias como Mandador da Armação de Pesca do Zavial. 

Durante a Dinastia Filipina, por alvará, com data 2 de Janeiro de 1618, D.Filipe II (1598-1621) faz mercê ao padre Vicente Freira da Capelania da Armação de Pesca do Zavial, com a obrigação de dizer missa aos domingos e dias santos, o que demonstra um aumento da importância da área.


Em 1629, D. Luís de Sousa, futuro conde do Prado, tomou posse do cargo de Governador e capitão General do Algarve. No ano seguinte, Rodrigo Rebelo Falcão, Provedor das Almadravas do Reino do Algarve, por carta de 15 de maio, solicitou a defesa dos ¨portos da Almádena e Azevial por estarem expostos e oferecidos a maior perigo¨.

É possível que algum tipo de defesa houvesse sido improvisado à época, uma vez que, de acordo com o relato de D.Luís de Sousa ao Conselho da Fazenda, datado de 20 de Outubro de 1633, ao término do seu governo, se informou que existiam duas torres de vigia - a Torre de Aspa e a Torre do Azevial -, por ele reedificadas, pois que as encontrara ¨por terra¨e ¨sem nenhum uso¨. Informa ainda que deu início à construção do Forte de Santo Ignácio do Zavial, ficando apenas a cisterna por construir.

O Forte do Zavial foi inspecionado em 1754 por D. Rodrigo António de Noronha e Meneses, Governador do Reino do Algarve, encontrando-se em bom estado. no ano seguinte, o terramoto de dia 1 de Novembro de 1755 provocou o desmoronamento das muralhas de Lagos, assim como o desmoronamento do Forte de Santo Ignácio do Zavial.



Tendo sido priorizadas as obras de reconstrução da defesa de Lagos, em 1 de Agosto de 1763 o Marquês de Louriçal, Governador do Reino do Algarve, solicitou a D.Luís da Cunha a construção da Bateria do Zavial.

O relatório de 18 de Abril de 1821 do Tenente-Coronel do Regimento de Artilharia nº2, João Vieira da Silva, dá conta de que existiam na Bateria do Zavial, apenas três peças de artilharia de ferro em muito mau estado: em 1840 a Bateria encontrava-se abandonada.

Finalmente, a 21 de Abril de 1943 a Bateria do Zavial foi inscrita na Matriz Urbana da Freguesia da Raposeira, como pertencendo ao Estado.


Também se diz que, o nome Zavial deriva do nome Azevial, porque há muitos anos atrás, quando a praia do Zavial era uma armação de pesca, existiam muitas Azevias (na foto em cima). A praia era famosa por ter muitos peixes desta espécie.  

Sem comentários:

Enviar um comentário